07/07/2018 AS RUÍNAS

Sábado, 07 de julho de 2018                                                    

                              

Am 9,11-15                                                        Sl 85,9-14                                                            Mt 9,14-17

 

                                                                              AS RUÍNAS

 

Naquele dia levantarei a tenda desmoronada de Davi, repararei as suas brechas, levantarei as suas ruínas e a reconstruirei como nos dias antigos.” (Am 9,11)

 

Na nossa cultura da morte, muitas pessoas e coisas estão em ruínas. Matrimônios, famílias, ministérios, vizinhanças, cidades, finanças, e vidas inteiras estão em ruínas. Humanamente, é impossível reparar essas ruínas. No entanto, “para Deus, com efeito, nada é impossível.” (Lc 1,37)

 

De fato, o Senhor promete que Ele reconstruirá até mesmo as mais antigas ruínas – vidas e coisas que foram arruinadas há tanto tempo que é difícil alguém imaginar a possibilidade de sua restauração. Apesar disso, o Senhor promete: “Eles reedificarão as ruínas antigas, recuperarão as regiões despovoadas de outrora; recuperarão as cidades devastadas, as regiões que ficaram despovoadas por muitas gerações.” (Is 61,4)

 

O Senhor promete mais ainda: “Os teus escombros antigos serão reconstruídos; reerguerás os alicerces dos tempos passados e serás chamado Reparador de brechas, Restaurador de estradas, para que se possa habitar.” (Is 58,12). Nós podemos até mesmo ser participantes no cumprimento no Novo Testamento das profecias de Amós e Isaias ( At 15,16).

 

Consequentemente, quando você vê a nossa civilização em ruínas, não se desespere. Se encha de esperança, pois nós conhecemos as promessas do Senhor e sua fidelidade em cumprir as Suas promessas ( Js 23,14). Desse modo, “... santificai a Cristo, o Senhor, em vossos corações, estando sempre prontos a dar razão da vossa esperança a todo aquele que vo-la pede.” (1Pd 3,15)

 

Oração:Fazei-me instrumento da Tua paz. Onde houver ódio, que eu leve o Amor.”

Promessa:... o vinho novo se põe em odres novos; assim ambos se conservam.” (Mt 9,17)

Louvor: Quando seu marido se converteu à fé católica, Bárbara também voltou a frequentar a Igreja.