02/07/2018 TAL PAI, TAL FILHO

Segunda-feira, 02 de julho de 2018       

                                                              

Am 2,6-10.13-16                                              Sl 50,16-23                                                         Mt 8,18-22

 

                                                                TAL PAI, TAL FILHO

 

... um homem e seu pai vão à mesma jovem para profanar o meu santo nome.” (Am 2,7)

 

Meu filho adulto e eu estávamos participando da Missa dominical em uma bela Catedral diocesana onde o Bispo daquela diocese estava celebrando uma Missa dedicada a Maria, Socorro dos Cristãos. Meu filho e eu estávamos de férias e procuramos colocar primeiramente Deus em nossa viagem, e o Senhor por sua vez estava nos abençoando abundantemente permitindo que participássemos de uma Missa celebrada por um Bispo.

 

Pais têm sido abençoados por Deus para poderem ser essa primeira influência na formação de seus filhos. Pais podem vir a ser uma representação do Pai celestial para seus filhos. “... o Filho, por si mesmo, nada pode fazer mas só aquilo que vê o Pai fazer; tudo o que este faz o Filho o faz igualmente.” (Jo 5,19). Esse relacionamento pode e deve existir entre pai e filho. “Pois o Pai ama o Filho e lhe mostra tudo o que faz ...” (Jo 5,20).

 

Deus criou o relacionamento de pai e filho de um modo especial. Seu objetivo é voltar os corações dos pais para os seus filhos e os corações dos filhos para os seus pais (Ml 3,24). Ao enviar São João Batista à terra, Deus até mesmo mencionou especificamente que uma de suas atribuições seria converter os corações dos pais para seus filhos (Lc 1,17).

 

Quando os pais vivem para o Senhor e para a Igreja, seus filhos normalmente seguirão o exemplo de seus pais da mesma forma. Por outro lado, se nós pais vivemos um estilo de vida pecaminoso, nossos filhos serão influenciados a imitar esse mesmo modo de viver ( Am 2,7). Pais, encaminhem seus filhos para o Senhor e para a Sua Igreja.

 

Oração: Senhor, que cada família possa ser uma imitação viva da Sagrada Família.

Promessa:Mas Jesus lhe respondeu: Segue-me e deixa que os mortos enterrem seus mortos.” (Mt 8,22)

Louvor: Antônio e seu filho Pedro, dirigiram por cento e cinquenta quilômetros para ajudar a um amigo que teve um problema em seu carro em uma outra cidade.