10/11/2017 OS SACRAMENTOS DA INICIATIVA - SÃO LEÃO MAGNO, PAPA

Sexta-feira, 10 de novembro de 2017  - São Leão Magno, Papa

 

Rm 15,14-21                             Sl 98,1-4                                Lc 16,1-8

 

                                   OS SACRAMENTOS DA INICIATIVA

 

... Pois os filhos deste século são mais prudentes com sua geração do que os filhos da luz.” (Lc 16,8)

 

Se Iahweh não constrói a casa, em vão labutam os seus construtores; se Iahweh não guarda a cidade, em vão vigiam os guardas.” (Sl 127,1). “É a benção de Iahweh que enriquece, e nada ajunta a fadiga.” (Pr 10,22). Não importa o quanto duramente nós tentemos, nós não podemos fazer com que as ações de Deus aconteçam. “Pois é Deus quem opera em vós o querer e o operar, segundo a sua vontade.” (Fl 2,13)

 

Com esse pensamento, algumas pessoas assumem que os cristãos não devem tomar iniciativa na construção do reino de Deus tanto na terra como no céu. No entanto, o Senhor não nos diz para não tomarmos a iniciativa, mas, ao invés disso, que nossas iniciativas sejam motivadas pela Sua ação.

 

O Senhor quer que o Seu povo tenha mais iniciativa do que os poderosos e influentes deste mundo. Assim como a Igreja primitiva e a Igreja através dos séculos, nós temos que tomar iniciativas arrojadas pelo Reino de Deus. A Igreja ensina: “A iniciativa dos cristãos leigos é particularmente necessária quando se trata de descobrir, de inventar meios para impregnar, com as exigências da doutrina e da vida cristã, as realidades sociais, políticas e económicas. Tal iniciativa é um elemento normal da vida da Igreja.” (CIC 899). Nós cristãos somos um povo de forte iniciativa, pois seguimos Deus, que inicia tudo o que é bom (Tg 1,17). Ele faz isso porque Ele é amor (1Jo 4,16). Nós fazemos isso “pois a caridade de Cristo nos compele ...” (2Cor 5,14)

 

Oração: Pai, que o zelo pela Tua casa me consuma (Jo 2,17).

Promessa:... Vê-lo-ão aqueles a quem não foi anunciado, e conhecê-lo-ão aqueles que dele não ouviram falar.” (Rm 15,21)

Louvor: O Papa São Leão Magno realizou em torno de sua sede a unidade de toda a Igreja e enfrentou as ameaças dos hunos de Átila e dos vândalos de Genserico.