04/11/2017 AGENTES DUPLOS - SÃO CARLOS BORROMEU

Sábado, 04 de novembro de 2017 - São Carlos Borromeu         

                       

Rm 11,1.2.11.12.25-29                  Sl 94,12-15.17.18                            Lc 14,1.7-11

 

                                                AGENTES DUPLOS

 

Quanto ao Evangelho, eles são inimigos por vossa causa; mas quanto à Eleição, eles são amados, por causa de seus pais.” (Rm 11,28)

 

Um velho ditado diz que Deus escreve certo por linhas tortas. “E nós sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam, daqueles que são chamados segundo o seu desígnio.” (Rm 8, 28). Deus é onipotente; assim Ele até mesmo usa Seus inimigos para promover Seus planos (Pr 16, 4). Por exemplo, os irmãos de José cruelmente o abandonaram numa cisterna (Gn 37, 24). Como resultado, ele foi forçado a passar vários anos no Egito como escravo e depois como prisioneiro. Mas Deus livrou José da prisão para organizar o Egito durante um período de severa escassez. José, mais tarde, disse a seus irmãos: “O mal que tínheis intenção de fazer-me, o desígnio de Deus o mudou em bem, a fim de cumprir o que se realiza hoje: salvar a vida de um povo numeroso.” (Gn 50, 20)

 

Deus usa até mesmo homens que lhe fazem oposição direta para progredir em Seus planos. Certos líderes judeus que resistiam ao Espírito Santo (At 7, 51) condenaram Estevão apedrejando-o até a morte (At 7, 55-58). Porém Deus imediatamente utilizou essa tragédia para difundir a Sua Palavra “... pelas regiões da Judéia e da Samaria.” (At 8, 1) e até mesmo aos confins da terra (At 1, 8).

 

Muitos judeus do século primeiro não aceitavam a Jesus como Messias e Senhor. Parecia que o ministério de Jesus junto ao Seu povo havia fracassado (Mt 15, 24). Porém Deus transformou até mesmo esse fracasso em triunfo. A descrença de certos líderes judeus levou Paulo a se dirigir aos gentios, que “... se alegravam e glorificavam a palavra do Senhor ...” (At 13, 48)

 

Coloque sua confiança no amor, poder e talento do Pai. Ele é supremo e soberano. “Levai, pois, uma vida de autodomínio e de sobriedade, dedicada à oração.” (1Pe 4,7), confiando em seu Pai celestial.

 

Oração: Pai, eu coloco a minha vida em Tuas mãos (Sl 31, 6).

Promessa:Quando eu digo: “Meu pé vai tropeçar”, o teu amor, Iahweh, me sustenta.” (Sl 94,18)

Louvor: São Carlos mostrou heroica caridade durante a praga em Milão.